Você é criativo?

Conversando com um pastor sobre o trabalho no ministério pastoral, entrou em pauta a questão da criatividade. A certa altura, fiz essa mesma pergunta para ele. Ele pensou um pouco e disse:
– Sabe que não sei… Acho que nunca parei para pensar se sou ou não criativo. Posso até ser, mas acho que não me dou conta disso. Toco o meu nosso dia-a-dia independentemente de uma resposta positiva ou negativa. O que sei é volta e meia ouço falar sobre pessoas criativas que tiveram uma idéia brilhante e que agora ela afeta a nossa vida de alguma forma. Isso me faz pensar se os gênios transitam em um nível diferente do nosso. Eles é que são criativos.
Boa parte das pessoas tem uma resposta semelhante a esse pastor. Elas “tocam” a vida sem muita preocupação com a criatividade. E quando resolvem pensar sobre o assunto, é possível que fiquem ainda mais em dúvida sobre o que dizer quando se dão conta de que o mundo da criatividade é habitado por toda sorte de definições, teorias, testes, exercícios e mitos.
(djj)

Anúncios

2 opiniões sobre “Você é criativo?

  1. No primeiro dia da aula de Criatividade com uma abordagem acadêmica, durante meu mestrado na UFSC, fomos perguntados sobre como definimos criatividade. Cada um escreveu sua definição em um papel e entregou ao professor que comentou as mais diversas definições.

    Eu não me esqueço o que escrevi pois mesmo depois de passar pela cadeira, o conceito continuou fechando com a abordagem acadêmica:

    “… seguindo o conceito de Lavoisier sobre a lei de conservação das massas, eu diria que criatividade segue a mesma idéia com uma pequena modificação final: na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se TRANSTORNA. Ser criativo, portanto, não está ligado apenas à genialidade que transforma toda uma visão ou significado das coisas no mundo, mas é também toda ação transformadora e trasntornadora de pequenos mundos, aqueles que cercam cada um de nós. Está, portanto, intimamente ligada ao aprendizado e ao ensino que constrói novos conhecimentos partindo de conhecimentos pré-existentes.”

    Essa idéia acima expressa uma conexão entre criar e o processo de ensino e aprendizado numa abordagem construtivista – acadêmica.

    Sempre que realizamos pequenas modificações em nosso mundo, improvisando, redimensionando, contornando as situações que nos cercam, estamos sendo criativos e produzindo transtornos na nossa realidade através de conexões, pontes entre o que já sabemos para um novo mundo.

    • Obrigado pelo post. Você está certo. Embora por questões de espaço eu não possa entrar nos meandros da criatividade, creio que é isso que tento dizer no capítulo 3, que trata dela em termos gerais. Oportunamente devo colocar mais alguns trechos. Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s