> Livro 28: Teologia e Pregação

Dica de leitura 03

Neste post, aprecio rapidamente o livro Preaching is believing – The Sermon as Theological Reflection  (Pregar é crer – O sermão como uma reflexão teológica).  O autor é Ronald J. Allen e foi publicado WJK em 2002.  Tem 162 páginas.

O propósito de Allen é incImagementivar os pregadores a prestarem uma atenção maior à Teologia Sistemática na preparação de seus sermões.  (De certa forma, este objetivo do livro parece ser redundante, já que todo sermão é “sistemático”, “doutrinário”, se bíblico.  Todavia, o que ele quer incentivar, em síntese, são sermões que, de forma explícita, lidem mais ou melhor com temas considerados sistemáticos – por exemplo, Batismo, Santa Ceia, Santificação.)

O “conteúdo” do livro deixa bem claro o foco do autor.  São seis capítulos que colocam uma fundamentação teórico-prática sobre o “sermão sistemático”.  Por exemplo: Por que a Igreja precisa de Teologia Sistemática hoje?; O sermão como uma forma de Teologia Sistemática; Tornando a Teologia viva em um sermão.

O último Capítulo traz uma série de sermões que tem como objetivo exemplificar a tese do autor.  Logo após, ele coloca um apêndice sobre “relacionamentos entre famílias teológicas históricas e contemporâneas”.

> Livro 14: Pregação pura e simples

Dica de leitura 03

Manuais homiléticos ou de pregação são comuns.  Alguns resistiram ao tempo e se tornaram clássicos. Um dos mais recentes (de 2005, com reedição em 2007 é o de Stuart Olyott – Preaching pure and simple.  Foi publicado pela Bryntirion, de Wales, Reino Unido.  Tem 192 páginas.

A proposta do autor é objetiva: indicar caminhos seguros e simples para a elaboração e entrega de sermões.  BoImagema parte dos temas tratados está presente em outros manuais.

Na Parte 1, Stuart comenta sobre “o que é pregação”.  Na segunda, a mais vasta e importante, ele lida com estes assuntos: Acuracidade exegética; Substância doutrinária; Estrutura clara; Ilustração vívida; Aplicação no alvo; Entrega que ajude o ouvinte a ouvir e entender; Autoridade sobrenatural.  Neste bloco, cada um dos capítulos traz uma série de três perguntas e/ou atividades práticas para complementação do estudo.

Na terceira e última parte, o autor traz um esboço de um método para a preparação de sermões e uma homenagem a um pregador já falecido, Hugh D. Morgan, que em suas pregações exemplificou os princípios detalhados no livro.

Trecho traduzido: “Muitos sermões hoje são como o badalar de um sino de um funeral.  O conteúdo é satisfatório, mas o coração do pregador nunca é visto.  Não existe risco de que tais pregadores um dia serão acusados de alarme falso ou fanatismo, pois não existe evidência de que algum tipo de chama está ardendo dentro deles” (pág. 153).