> Livro 24: Encenando a pregação

Dica de leitura 03

Um das bases mais consistentes da pregação cristã em termos de formatação é a retórica grega.  Em muitos círculos religiosos, especialmente os de tradição mais antiga, o sermão é, em muitos casos, uma peça de caráter argumentativo.  Todavia, existem várias outras opções para proclamar a Palavra de Deus. (Pesquise aqui no blogue termos como “história”, “narrativa”,  “pregação experimental”, “ventos da pregação”; etc. para ampliar esta noção.)

Uma das alternativas é apresentada em um livro de 2002, escrito por James O. Chatham: Enacting the Word – Using Drama in Preaching.  Foi publicado pela editora WJK, dos Estados Unidos.  Tem 72 páginas.

Traduzido livremente, o título dá uma boa ideia do seu foco: Encenando a Palavra – Usando aImagem dramatização na Pregação.  Em alguns momentos, esta variação da pregação cristã também é chamada de “pregação litúrgica”.

O livro de Chatham não é um manual teórico sobre o uso desta forma de proclamação da Palavra.  Na verdade, são apenas três páginas que a “fundamentam” – as demais contem vasto material exemplificativo.

Em um formato assim, ele diz, o sermão não é apenas um monólogo, mas uma proclamação que envolve a congregação de uma forma dinâmica.  Os presentes serão envolvidos na história e ela, por sua vez, irá proclamar o Evangelho.  O “sermão dramatizado explora a relação dinâmica entre antropologia e teologia.  Ele retrata sagas tipicamente humanas e revela como Deus está presente.”

O livro traz sete exemplos completos de sermões dramatizados.  De formas variadas, cada um inclui recursos como monólogos, diálogos, música, etc., além de orientações iniciais.  Como se trata de “sermões”, um dos “personagens” sempre presente é o “pregador”.  Normalmente é ele que faz a aplicação mais direta da Palavra de Deus.

Em um apêndice, o autor traz cerca de uma dúzia de ideias para que o pregador desenvolva suas próprias mensagens dramatizadas.  Ele justifica: “Você tem a Bíblia.  Você tem o seu conhecimento das histórias dela.  Você tem imaginação.  Você conhece o espaço do seu templo…Desafie-se a torna seu sermão dramatizado interessante e com substância

> O contexto litúrgico da pregação

Pregação trechos

f) Contexto litúrgico.  A pregação (tradicional, ao menos) está inserida em um contexto litúrgico.  Ele é um dos momentos do culto ou da missa.  A tradição litúrgica cristã enfatiza a importância da comunhão de vários elementos cerimoniais.  A integração do sermão nesse contexto é estudada através do que é chamado de “pregação litúrgica”.

Existem várias formas se de ampliar o conteúdo de um sermão baseado em um texto poético da Bíblia.  A música é um deles.  (Lembre-se: os salmos também são “canções”.)  Experimente utilizar música instrumental ou vocal antes, durante e depois do sermão para realçar a emoção e o ensino do texto bíblico.  Existem muitas músicas criadas a partir de salmos.  Alguns pregadores até mesmo “arriscam” cantar em determinado momento da mensagem.

> Livros 03: Pregação Litúrgica

Dica de leitura 03

A pregação cristã (o sermão, a mensagem) é sempre “contextual”, ou seja, está inserida em algum “ambiente” – na verdade, em vários: o teológico, o literário, o cultural, o histórico; etc. – e o litúrgico (o culto ou a missa).  Ela não acontece num vácuo, mas é precedida e seguida de diversos elementos litúrgicos, como a leitura da Bíblia, o canto, a confissão de pecados, a oração, a ceia, etc.  Assim, ela é “afetada” por estes elementos e, ao mesmo tempo, os “afeta”.  (Obviamente, a “pregação litúrgica” somente faz sentido em igrejas que mantém a tradição cúltica do Cristianismo.)index
Um livro relativamente recente que lida com o assunto é Liturgical Preaching (Concordia, Saint Louis, EUA, 2001).  Trata-se de uma  coletânea de 12 ensaios escritos por diferentes autores. Estes são alguns dos temas tratados: O lugar do sermão na ordem litúrgica; Pregação sacramental: A Santa Ceia; Hinódia e pregação; Pregando na comunidade de fé; Lei e Evangelho no sermão e no culto.

Nota: Existem poucos textos sobre o assunto em português.  Em inglês, é possível encontrar diversos materiais – livros e artigos -, além do livro sugerido neste post.  Lembro dois livros mais antigos que abordam o tema: “The Word in Worship: Preaching in a Liturgical Context” , de William Skudlarek, e “The Renewal of Liturgical Preaching”, de George M. Bass.

Trecho:  “Na liturgia, tesouros estão escondidos no campo.  O sermão revela estes tesouros para que o ouvinte possa possuí-los.  ‘Invocação, confissão, absolvição, gratidão, credo, proclamação, intercessão, sacramento, bênção…’  Sem o sermão, não existe diálogo inteligível com a nossa sociedade pós-moderna…  O sermão, ao ver o povo de Deus como a liturgia não pode, leva a vida da congregação ao clímax por meio da Palavra e permite que o Espírito coloque as pérolas nos corações e vidas dos fieis.” (Pág. 21)