> Livro 24: Encenando a pregação

Dica de leitura 03

Um das bases mais consistentes da pregação cristã em termos de formatação é a retórica grega.  Em muitos círculos religiosos, especialmente os de tradição mais antiga, o sermão é, em muitos casos, uma peça de caráter argumentativo.  Todavia, existem várias outras opções para proclamar a Palavra de Deus. (Pesquise aqui no blogue termos como “história”, “narrativa”,  “pregação experimental”, “ventos da pregação”; etc. para ampliar esta noção.)

Uma das alternativas é apresentada em um livro de 2002, escrito por James O. Chatham: Enacting the Word – Using Drama in Preaching.  Foi publicado pela editora WJK, dos Estados Unidos.  Tem 72 páginas.

Traduzido livremente, o título dá uma boa ideia do seu foco: Encenando a Palavra – Usando aImagem dramatização na Pregação.  Em alguns momentos, esta variação da pregação cristã também é chamada de “pregação litúrgica”.

O livro de Chatham não é um manual teórico sobre o uso desta forma de proclamação da Palavra.  Na verdade, são apenas três páginas que a “fundamentam” – as demais contem vasto material exemplificativo.

Em um formato assim, ele diz, o sermão não é apenas um monólogo, mas uma proclamação que envolve a congregação de uma forma dinâmica.  Os presentes serão envolvidos na história e ela, por sua vez, irá proclamar o Evangelho.  O “sermão dramatizado explora a relação dinâmica entre antropologia e teologia.  Ele retrata sagas tipicamente humanas e revela como Deus está presente.”

O livro traz sete exemplos completos de sermões dramatizados.  De formas variadas, cada um inclui recursos como monólogos, diálogos, música, etc., além de orientações iniciais.  Como se trata de “sermões”, um dos “personagens” sempre presente é o “pregador”.  Normalmente é ele que faz a aplicação mais direta da Palavra de Deus.

Em um apêndice, o autor traz cerca de uma dúzia de ideias para que o pregador desenvolva suas próprias mensagens dramatizadas.  Ele justifica: “Você tem a Bíblia.  Você tem o seu conhecimento das histórias dela.  Você tem imaginação.  Você conhece o espaço do seu templo…Desafie-se a torna seu sermão dramatizado interessante e com substância

> Quer investir em criatividade? Ignore tendências

“Se você de fato quer ser criativo, você precisa ignorar tendências.Bloqueie-as; zero atenção para elas. Tendências são o extremo da criatividade. Em muitas formas de arte (especialmente na música),a maioria dos artistas está seguindo as tendências da moda, sejam quais forem. Mas também existe um pequeno grupo de artistas que estão buscando o seu próprio caminho e não estão prestando atenção a tendências na arte de sua escolha.  Certamente existe mais dinheiro, fama e notoriedade instantânea ao se seguir tendências, mas boa parte do que é popular raramente é criativo. Se você quer fazer algo verdadeiro único, as tendências são irrelevantes.  Olhando para dentro de você mesmo é onde você irá descobrir uma riqueza maior de criatividade do que está disponível em qualquer tendência da moda.”
( Fonte: http://www.wikihow.com/Be-Creative )