> Livros 05: Televisão e Religiosidade

Dica de leitura 03

Este meu livro foi publicado a partir de estudos realizados para um trabalho de conclusão de curso (TCC) do curso de Jornalismo da Universidade Luterana do Brasil (julho de 2007).  Ele tem o mesmo título da pesquisa: A televisão como veículo para o exercício da religiosidade – O caso da Igreja Evangélica Luterana do Brasil. (Ielb).

Após uma introdução teórica sobre fundamentos bíblico-teológicos dacover_front_medium comunicação, o o livro traz um capítulo que faz um levantamento resumido sobre o uso da televisão para comunicar o Evangelho no Brasil, incluindo a Igreja Católica e Igrejas Evangélicas, iniciando na década de 1950 até meados da década de 200 (quando o estudo foi encerrado).

O Capítulo 3 traz uma visão geral do uso dos veículos de comunicação pela Ielb, particularmente a televisão.  É feito um levantamento histórico a partir da década de 1940 até meados de 2000.  Também é contemplado um estudo sobre a presença do tema “comunicação” nesta Igreja.

O último capítulo é composto por uma visão histórica dos programas regulares que existiram (ou ainda existiam na história da Ielb quando a pesquisa foi encerrada (2007)).  Nove programas regulares são analisados.

O tema proposto pelo livro é fartamente documentado: são 209 notas de referência e várias dezenas de indicações bibliográficas.  O livro tem 108 páginas.

Trecho: “O ano de 1984 marcou o apogeu da Ielb no uso da televisão como veículo evangelizador.  A Igreja tinha programas em oito canais de TV… Estes programas tinha a duração total de 93 minutos, utilizados semanalmente.”

Nota:  O livro somente está à venda diretamente (como novo) pelo Clube de Autores.  Pode ser adquirido de forma impressa (mais frete), ou como e-book.  Link: http://www.clubedeautores.com.br/book/118364–A_televisao_como_veiculo_para_o_exercicio_da_religiosidade

> Livros 04 – Rádio: A história, o Veículo, a Técnica

Dica de leitura 03

O livro em destaque neste post nada tem a ver diretamente com a comunicação da Palavra de Deus.  Todavia, é uma das suas plataformas, ainda bastante utilizada no Brasil: o rádio.

O autor

Luiz Ferrarretto, autor

O livro é Rádio – O veículo, a História e a Técnica.  Foi publicado em  2000 (segunda edição em 2001) pela Sagra Luzzatto, de Porto Alegre. O autor é Luiz Artur Ferrarretto, professor e autor na área de Jornalismo.  Possui mestrado e doutorado na área de informação e comunicação. São 376 páginas.

Este livro – como fica evidente no seu subtítulo – trata de três questões básicas relacionados com o rádio: a sua história, suas características como veículo de comunicação, e as principais técnicas para utilizá-lo com eficácia.

Para quem atua no rádio, o bloco que lida com a técnica é precioso.  Ele trata da redação, da edição, da reportagem, da entrevista, da opinião, da locução, e mais.  Inclusive, um dos capítulos foca o uso da língua portuguesa neste veículo.

O bloco que trata especificamente sobre o rádio apresenta as suas principais característiImagemcas como meio de comunicação.  Além disto, aborda aspectos relacionados com uma emissora de rápido e a programação radiofônica, além da tecnologia envolvida (áudio digital, informática, satélite, etc.).

O aspecto histórico do rádio desenvolvido por Ferrarretto inicia nas origens do veículo e logo se fixa na sua implantação no Brasil, sua estrutura, seu apogeu, sua decadência, sua reestruturação e, por fim, a sua formatação atual (a segmentação).

O livro tem uma linguagem simples e um cunho didático – o que se explica também pelo fato do autor também atuar como professor.

Trecho: “Em várias emissoras é comum a utilização do termo trilha para indicar qualquer inserção musical (à exceção de canções que tocam na íntegra em uma programação musical).  Na realidade, existem quatro tipos, definidos por suas funções: a característica, a cortina, a vinheta e o fundo musical.” (pág. 287)